segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

IGREJA BATISTA SHALOM DE BOM JESUS DO BAGRE

Irmã Emiliana e Pastor Janderson, Missionaria Sandra e Pastor Adilson, Evangelista Jeanhderson e Irmã Silvana
Pastores e esposas
 
Evangelista e familia
Ministerio de louvor
Familia Shalom de BJB
Louvado seja o nome do Senhor
Essa igreja é uma benção

sábado, 13 de fevereiro de 2010

BIG

BROTHER

BRASIL


Autor: Antonio Barreto,
Cordelista natural de Santa Bárbara-BA, residente em Salvador.


Curtir o Pedro Bial
E sentir tanta alegria
É sinal de que você
O mau-gosto aprecia
Dá valor ao que é banal
É preguiçoso mental
E adora baixaria.
Há muito tempo não vejo
Um programa tão ‘fuleiro’
Produzido pela Globo
Visando Ibope e dinheiro
Que além de alienar
Vai por certo atrofiar
A mente do brasileiro.
Me refiro ao brasileiro
Que está em formação
E precisa evoluir
Através da Educação
Mas se torna um refém
Iletrado, ‘zé-ninguém’
Um escravo da ilusão.
Em frente à televisão
Lá está toda a família
Longe da realidade
Onde a bobagem fervilha
Não sabendo essa gente
Desprovida e inocente
Desta enorme ‘armadilha’.

Cuidado, Pedro Bial
Chega de esculhambação
Respeite o trabalhador
Dessa sofrida Nação
Deixe de chamar de heróis
Essas girls e esses boys
Que têm cara de bundão.
O seu pai e a sua mãe,
Querido Pedro Bial,
São verdadeiros heróis
E merecem nosso aval
Pois tiveram que lutar
Pra manter e te educar
Com esforço especial.
Muitos já se sentem mal
Com seu discurso vazio.
Pessoas inteligentes
Se enchem de calafrio
Porque quando você fala
A sua palavra é bala
A ferir o nosso brio.
Um país como Brasil
Carente de educação



Precisa de gente grande
Para dar boa lição
Mas você na rede Globo
Faz esse papel de bobo
Enganando a Nação.
Respeite, Pedro Bienal
Nosso povo brasileiro
Que acorda de madrugada
E trabalha o dia inteiro
Dar muito duro, anda rouco
Paga impostos, ganha pouco:
Povo HERÓI, povo guerreiro.
Enquanto a sociedade
Neste momento atual
Se preocupa com a crise
Econômica e social
Você precisa entender
Que queremos aprender
Algo sério – não banal.

Esse programa da Globo
Vem nos mostrar sem engano
Que tudo que ali ocorre
Parece um zoológico humano
Onde impera a esperteza
A malandragem, a baixeza:
Um cenário sub-humano.
A moral e a inteligência
Não são mais valorizadas.
Os “heróis” protagonizam
Um mundo de palhaçadas
Sem critério e sem ética
Em que vaidade e estética
São muito mais que louvadas..
Não se vê força poética
Nem projeto educativo.
Um mar de vulgaridade
Já tornou-se imperativo.
O que se vê realmente
É um programa deprimente
Sem nenhum objetivo.

Isso é um desserviço
Mal exemplo à juventude
Que precisa de esperança
Educação e atitude
Porém a mediocridade
Unida à banalidade
Faz com que ninguém estude.
É grande o constrangimento
De pessoas confinadas
Num espaço luxuoso
Curtindo todas baladas:
Corpos “belos” na piscina
A gastar adrenalina:
Nesse mar de palhaçadas.
Se a intenção da Globo
É de nos “emburrecer”
Deixando o povo demente
Refém do seu poder:
Pois saiba que a exceção
(Amantes da educação)
Vai contestar a valer.
A você, Pedro Bial
Um mercador da ilusão
Junto a poderosa Globo
Que conduz nossa Nação
Eu lhe peço esse favor:
Reflita no seu labor
E escute seu coração.
E vocês caros irmãos
Que estão nessa cegueira
Não façam mais ligações
Apoiando essa besteira.
Não deem sua grana à Globo
Isso é papel de bobo:
Fujam dessa baboseira.
E quando chegar ao fim
Desse Big Brother vil
Que em nada contribui
Para o povo varonil
Ninguém vai sentir saudade:
Quem lucra é a sociedade
Do nosso querido Brasil.
E saiba, caro leitor
Que nós somos os culpados
Porque sai do nosso bolso
Esses milhões desejados
Que são ligações diárias
Bastante desnecessárias
Pra esses desocupados.

Chega de vulgaridade
E apelo sexual.
Não somos só futebol,
baixaria e carnaval.
Queremos Educação
E também evolução
No mundo espiritual.
Cadê a cidadania
Dos nossos educadores               
Dos alunos, dos políticos
Poetas, trabalhadores?
Seremos sempre enganados
e vamos ficar calados
diante de enganadores?



Salvador, 16 de janeiro de 2010.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Tá com Deus? Tá Sozinho?

Por Zé Luís



Quando Adão foi criado, perambulava pelos Pomares do Éden (esta seria a tradução correta e não Jardins) no mundo, por Deus recriado ( a palavra hebraica "Asa" significa "recriar", o que faz mais sentido, já que a Terra era sem forma e vazia, como em estado de Caos, mas existia).



Todos os dias, no fim das tardes, o próprio Senhor vinha passear com ele, que dava nome aos animais, gerados através da força divina.



Um dia, a Trindade confabulava com seus anjos e soltou uma frase aparentemente sem sentido:



"Não é bom que o homem esteja só..."



Um anjo olhou para outro:



- Como o homem está só? O próprio El Shaday passeia com ele! - pensou alto um querubim com ar ameaçador, embora este era seu semblante, e não a de um bebezinho de fraldas.



A indagação do ser angelical era justificada: O homem estava cercado de todo tipo de criatura, tinha acesso a qualquer lugar e dimensão, e o melhor: passeava lado a lado com um ser capaz de criar constelações. Era como um filho que aprende a andar de bicicleta enquanto pai o protege de um eventual tombo.



Se a frase não tivesse saído da boca do próprio Deus, certamente pensaria que era alguma piada celestial, no estilo dos americanos (que só eles entendem).



O boi tinha a vaca, o cão: a cadela, o pombo e a pomba, o lobo e sua fêmea, mas o homem... o homem olhava aquilo tudo e sentia em sua alma um: "Ué..."



Deus então, o anestesia (já que Adão, até então, não sabia o que era dor) e dele, faz um semelhante que o complete. Não fez uma sereia, nem tão pouco uma mulher-gato, ou uma minotauro.



Fez para ele, uma versão fêmea do ser que ele era.



Produziu alguém para olhar nos olhos, estar ombro com ombro, falando o mesmo idioma, e traduzindo situações com os mesmos sentidos e reações.



É estranho que alguns de nós insistam no ostracismo, isolando-se, e assistindo o mundo passar pela janela, por melhor que seja a resolução gráfica da mesma, sem se ater que esta falta na alma onde já tem Deus não pode ser preenchida por ele novamente.



A tendência de todo corpo que ruma para a paralisação é a deterioração, e não a conservação. Nossa alma carece de movimento, de suor, de olhos nos olhos.



Ignorar isso é deixar a acertada declaração do próprio Deus na gaveta dos conselhos em desuso, e por ser o que aconselha quem é, não convém fazê-lo. Não haverá em nosso ser reação diferente de Adão.



Talvez se entenda como se traduzir o que sente aquele que conheceu a Igreja, e não suportou a igreja, abandonando-a. Não se consegue parar de falar nas coisas do Reino, por mais que outras coisas, ligadas a ele, ainda nos entristeçam muito. Mas é sempre bom lembrar:



"Não é bom que o homem esteja só..."

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Seja o maior incentivador do seu pastor.




Por Renato Vargens


Como já escrevi inúmeras vezes o ministério pastoral não é nada fácil. Cotidianamente os pastores lidam com situações extremamente complicadas onde dor, angústia e ansiedade se fazem presentes. Sem sombra de dúvidas os Ministros do Evangelho ao conduzirem o rebanho de Cristo desenvolvem um árduo e penoso trabalho. Se não bastasse isso, eles necessitam esmerar-se no estudo da Bíblia, dedicar-se com afinco a oração e piedade, aconselhar os tropegos, admoestar os insubmissos, além de treinar e fazer discipulos ensinando-as a guardar no coração a sã doutrina.


O pior disso tudo, é que parte da igreja não reconhece o valor do pastor. Na verdade alguns irmãos não tratam de seus pastores como deveriam. Infelizmente conheço inúmeros casos de pastores marcados por igrejas intransigentes, que exigem de seus líderes atitudes sobre-humanas, levando-os a exaustão espiritual.


Isto posto gostaria de trazer algumas sugestões para aqueles que entendem a complexidade do ministério pastoral e que desejam se tornar incentivadores do seu pastor:


1º- Interceda e ore pelo seu pastor todos os dias. Faça-o saber que está orando por ele.


2º - Preste atenção ao sermão. Dê ao pregador toda a sua atenção, e procure colocar em prática aquilo que está sendo pregado no púlpito.


3º- Decida aprender com seu pastor. Deixe que o sermão do domingo seja o início do seu estudo semanal. Pegue o que você ouviu e aplique-o às suas outras leituras, estudos e leitura bíblica.


4º Evite fofocas. Proteja o seu pastor incentivando o queixoso a resolver suas questões pessoalmente com ele.


5º - Não joque lenha na fogueira. Seja um "apagador" de incêndios.


6º- Pergunte a si mesmo: Como posso encorajar o meu pastor? O que eu posso começar a fazer, que ainda não tenha feito no passado para animá-lo. Eu estou apoiando o pastor e seu ministério ? Eu mostro isto pelas coisas que eu digo e faço?


7º- Se você tiver dúvidas a respeito do ensino do pastor, pesquise nas Escrituras e estude-as cuidadosamente, com a mente aberta. Discuta a interpretação com seu pastor de maneira franca e sincera, e depois permita ao Espírito Santo guiá-lo e ensiná-lo na verdade. Esteja preparado para diferenças honestas de opinião acerca do significado de algumas passagens.


8º - Encoraje o seu pastor a gastar tempo regularmente em oração e estudo.


9º- Deixe para ele um bilhete de vez em quando mencionando coisas que ele tenha dito ou feito que teve algum significado para você. Menções específicas de como as mensagens têm ministrado a você.


10º - Evite criticas descontrutivas.
11º - Estimule grupos na sua igreja - especialmente aqueles dos quais você faz parte a encorajar o pastor e a sua família. Converse com outros a respeito dos ensinos dos sermões. Promova conversas e ensino, baseados nos sermões, como uma parte regular das suas conversas na igreja.


12º - Encoraje a família do seu pastor.


Pense nisso!

NADA COMO SABER


por Ariovaldo Ramos



Efésios 1


1 Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, aos santos que estão em Éfeso, e fiéis em Cristo Jesus:
Nada como saber quem é. Nada como saber com quem fala. Jesus revela a identidade estabelecida por Deus.
Apóstolo é missionário. Santo é gente com dedicação exclusiva. Fiel é quem vive pelo que acredita.
Nada como saber que a gente o é não pelo que faz, mas pelo lugar em que está. Estar em Jesus, o Ungido para nos salvar, é ser tornado gente com dedicação exclusiva a Deus, e gente que tem o que crê, o que fazer, e que não se enxerga mais de outra forma.



2 Graça a vós, e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
Nada como saber o que Deus tem para nós: favor que a gente não merece e paz que a gente sabe, mas não compreende.
Nada como saber que Jesus, o Ungido, onde estamos, manda em tudo e tudo pode.



3 Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo;
Nada como saber que tudo o que a gente precisa, para ter identidade plena, nos foi dado em Jesus, não porque a gente fez por merecer, mas porque a gente foi posto no lugar certo, ou melhor, na pessoa certa.
É como relacionamento: a gente não ama o perfeito, ama o que invadiu o nosso coração, todo relacionamento é afetivo, mesmo quando não parece, tratamos todos a partir do lugar que ele ocupa em nosso coração, mesmo o absolutamente estranho, pois, ainda que como conceito, ele ocupa um lugar em nossa afeição: respeitar é ter afeição, ainda que mínima, pelo com quem nos relacionamos, ainda que seja pelo que a pessoa significa.
Nada como saber que estamos no lugar da afeição plena de Jesus. Isto é que faz toda a diferença em nós, e que nos faz totalmente diferentes.
Essa foi o favor que Deus, o Pai de Jesus Cristo, em quem estamos e de quem somos. Falemos bem de Deus, como os querubins que Isaías viu e descreveu no capítulo 6 de seu livro.



4 como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor;
Nada como saber que quem está ou estará no Cristo, já estava antes! E já estava para ser! E foi colocado no Cristo para ter identidade. Para ser reconhecido, por ele, como gente totalmente dedicada a ele, e, em quem, ele não teria o que censurar, por causa da forma como amaria. Caímos, nos perdemos, mas não fomos perdidos.
Ser gente totalmente dedicada a ele é ser gente que ama como ele ama, sem considerar a presença, ou a ausência de mérito na pessoa amada, e, mais, onde amor é afeição, de tal monta, que, necessariamente, inclui o sacrifício pelo ser amado.



5 e nos predestinou para sermos filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade,
Nada como saber que estávamos para vir a ser, e para um relacionamento familiar. Deus nos quis como filhos, antes que o quiséssemos como Pai. E somos filhos de quem sempre quis ser nosso Pai.



6 para o louvor da glória da sua graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado;
Nada como saber que Deus nos vê como o prémio que o seu favor a nós conquistou para ele. Favor que nos foi trazido, independentemente de nossos méritos, por aquele que agora amamos.



7 em quem temos a redenção pelo seu sangue, a redenção dos nossos delitos, segundo as riquezas da sua graça,
Nada como saber que todas as possibilidades do favor do Pai, foram manifestas na redenção que o Cristo nos proporcionou. Tudo o que a gente é e fez de errado, demonstrava que Deus havia perdido a gente, mas o favor, que Deus nos fez, à custa do ato do Ungido, foi o de nos adquirir de novo para ele.
Nada como saber que o Cristo é a encarnação do favor do Pai.



8 que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência,
Nada como saber que todos os movimentos do Cristo, todo o seu percurso para chegar e para fazer o que veio para fazer, principalmente, no que tange a forma como o Ungido veio: como homem humilde, faz parte de um plano executado com a sabedoria que sabe o melhor momento para cada ação, e a ação para cada momento.
Nada como saber que Deus respeitou o arbítrio sem perder o propósito.



9 fazendo-nos conhecer o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que nele propôs
Nada como saber o que Deus quer, e que, Deus, o quer por prazer! Deus age por um prazer que quis ter.



10 para a dispensação da plenitude dos tempos, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra,
Nada como saber que o prazer do Pai, é, no seu devido tempo, fazer com tudo o que exista tenha o Ungido como seu centro, e propósito, e senhor.



11 nele, digo, no qual também fomos feitos herança, havendo sido predestinados conforme o propósito daquele que faz todas as coisas segundo o conselho da sua vontade,
Nada como saber, que estar no Cristo é ser o que o Pai vai receber por direito, e que fomos, antes de sermos, antes de existirmos, destinados para ser a herança que o Pai receberia, e que isso era o propósito do Pai, e que, para isso, o Pai nos pôs no Cristo, antes de tudo, e que assim é porque o Pai decidiu que assim seria. Antes de tudo o Pai decidiu que seríamos dele: os que estão e os que estarão no Cristo, no Ungido.



12 com o fim de sermos para o louvor da sua glória, nós, os que antes havíamos esperado em Cristo;
Os judeus foram os primeiros, como etnia, a receber esse conhecimento, e entender a sua identidade e propósito.



13 no qual também vós, tendo ouvido a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, e tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa,
Os não judeus, à medida que ouvem as boas notícias da salvação, e crêem, recebem a mesma consciência de sua identidade e propósito, e o que o demonstra é o fato de receberem o mesmo derramamento, que os judeus, como etnia, receberam no Pentecostes, o batismo do Espírito Santo.



14 o qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus, para o louvor da sua glória.
Nada como saber, que a presença do Espírito Santo em nós é a certeza de que, também, estávamos no Cristo desde antes da fundação do mundo, e que receberemos a mesma herança prometida aos judeus, e a herança que receberemos é o privilégio de ser parte da herança que o Pai receberá, como prémio por sua bondade.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

FIEIS NA BALANÇA

Por Jeanhderson M. Martes

Muitas pessoas se perguntam o que fazia de Davi um homem segundo o coração de Deus.
Havia em Davi um desejo profundo de agradar a Deus em todos os aspectos de sua vida, ele amava os mandamentos do Senhor, era obediente as ordens que o Senhor lhes dava, e expressou em salmos momentos importantes de sua vida, desde vitorias as angustias de sua alma.

Todas essas características de Davi já fariam dele uma pessoa que agradava a Deus, mas Davi tinha um comportamento que em especial o tornava segundo o coração de Deus, em 2 Samuel 14 esse sua maneira de pensar e agir fica evidente; Davi se encontrava em uma situação delicada, pois seu filho Absalão tinha matado seu outro filho Amnom e fugido para uma cidade chamada Gesur.
Após três anos Joabe, um grande amigo de Davi e chefe do seu exercito percebendo que seu rei estava triste pela falta de seu filho Absalão, que agora pela lei deveria ser morto envia uma mulher a Davi; essa mulher preparada por Joabe vem vestida de luto e conta-lhe uma historia dizendo que seu marido havia morrido, e que um dia seus dois filhos estavam no campo onde depois de uma desavença um deles mata o irmão, pela lei essa mãe deveria entregar o filho homicida para ser morto, mas agora ela estava diante de Davi pedindo ao rei misericórdia, pois se ela o entregasse ela ficaria sem nenhum dos filhos.

Davi imediatamente diz aquela mulher que se alguém quisesse fazer mal ao rapaz que viesse a ele.

Amados irmãos, neste momento Davi quando julga a causa desta mulher acaba julgando sua própria situação, e ela então se revela dizendo que foi seu amigo Joabe que a mandou ali. O rei então entende que se podia mostrar misericórdia aos outros, poderia também aplicar a mesma misericórdia a sua própria vida e de seu filho, e manda busca-lo em Gesur.

Davi fazia aos outros o que ele gostaria que fizessem a ele, e assim acabava cumprindo os dois maiores mandamentos que é amar a teu próximo como a ti mesmo e amar a Deus sobre todas as coisas, só podemos dizer que amamos a Deus se na pratica amarmos ao próximo.

Quando você julga algo a respeito de seu irmão, esta determinando uma sentença sobre a sua própria vida.
Seja bem ou mal meu amado.
Pense nisso.

Ev. Jeanderson e Silvana