sábado, 6 de agosto de 2011

Avivamento dos ultimos dias ou Apostasia dos ultimos dias?

“Paz, irmãos! Sempre ouvimos, na nossa vida, falar sobre o avivamento dos últimos dias. O que garante realmente o avivamento da Igreja dos últimos dias? Esse avivamento é geral? local? individual?”
Diferente do que muitos cristãos pensam, quando a Escritura menciona os “últimos tempos”“últimos dias” e termos parecidos, ela está se referindo a toda a história do mundo a partir da primeira vinda de Jesus Cristo e não somente aos últimos momentos da história antes de sua segunda vinda.
Nos Atos dos Apóstolos, “Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a voz e disse-lhes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras. Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo esta a terceira hora do dia. Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel: E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos sonharão sonhos; e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e minhas servas, naqueles dias, e profetizarão”. (Atos 2.14-18) Pedro menciona que Joel havia profetizado a efusão do Espírito para acontecer nos últimos dias. Portanto, os últimos dias já haviam chegado.
Em sua carta, Pedro diz: “… sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com precioso sangue, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o sangue de Cristo, o qual, na verdade, foi conhecido ainda antes da fundação do mundo, masmanifesto no fim dos tempos por amor de vós”. (I Pedro 1.18-20) Pedro lembra aos cristãos que eles foram salvos não por dinheiro, mas pelo sacrifício expiatório de Jesus Cristo. Isso aconteceu, diz Pedro, no fim dos tempos.
Em sua carta aos Coríntios, Paulo escreveu: tudo isto lhes acontecia como exemplo, e foi escrito para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos”. (I Coríntios 10.11) Paulo menciona que ele e seus contemporâneos já haviam chegado aos fins dos séculos. Ele não poderia estar falando dos últimos momentos da História do mundo, bem antes da vinda de Jesus Cristo porque ele escreveu isso há cerca de vinte séculos.
Em sua carta a Timóteo, ele escreve: “Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos; pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios, sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta- te também desses. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; sempre aprendendo, mas nunca podendo chegar ao pleno conhecimento da verdade”. (II Timóteo 3.1-7) Aquilo que Paulo diz que viria nos últimos dias, era o que já havia começado a acontecendo em seu próprio tempo. Pois ele menciona tais homens que ele disse que viria nos últimos tempos como já estando ativo e inclusive manda que Timóteo se afaste deles.
Quando a Bíblia fala nos últimos tempos ou nos últimos dias, a premissa é que a História da Humanidade está centralizada na pessoa de Jesus Cristo. Quando fala nos primeiros tempos está uma referência toda a História antes da vinda de Jesus Cristo. Quando fala nos últimos tempos está uma referência toda a História depois da vinda de Jesus Cristo. Como profetizou Isaías:
“Mas a terra, que foi angustiada, não será entenebrecida; envileceu nos primeiros tempos, a terra de Zebulom, e a terra de Naftali; mas nos últimos tempos a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, na Galiléia das nações. O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz… Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto”. (Isaías 9.1-2,6-7)
O Evangelho de Mateus narra o cumprimento:
“E, deixando Nazaré, foi habitar em Cafarnaum, cidade marítima, nos confins de Zebulom e Naftali; Para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías, que diz: A terra de Zebulom, e a terra de Naftali, Junto ao caminho do mar, além do Jordão, A Galiléia das nações; O povo, que estava assentado em trevas, Viu uma grande luz; E, aos que estavam assentados na região e sombra da morte, A luz raiou. Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus”. (Mateus 4.13-17)
O motivo pelo qual muitos pensam que quando a Escritura menciona os últimos dias, ela esteja se referindo aos últimos momentos da história antes de segunda vinda de Cristo é que a palavra dias se referir, para muitos, parece se referir necessariamente a um período curto de tempo. Mas o uso da palavra pela própria Bíblia mostra que ela não precisa necessariamente indicar um período curto de tempo, mas pode se referir a um período de séculos de duração. Vemos isso já nos primeiros capítulos de Gênesis: “E foram todos os dias que Adão viveu novecentos e trinta anos, e morreu”. (Genesis 5:5). Todos na genealogia de Gênesis 5 viveram durante muitos séculos. E a palavra dias - do hebraico yom - é usada pra se referir a esse longo período de tempo.
Sendo assim, nos últimos existiram muitos avivamentos e muitas apostasias. Oremos a Deus para que Ele envie avivamento.
Por Frank Brito © Voltemos Ao Evangelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário